Para entender fotografia: o obturador, o diafragma e o ISO.

A fotografia é a fixação da imagem obtido a partir de técnicas para o registro da luz refletida pelos objetos.

Este registro da luz é realizado a partir de 3 variáveis: o obturador, o diafragma e o ISO.

O obturador.

Responsável pelo tempo no qual a imagem (luz) será registrada.

O obturador é o conjunto de lâminas que impede a passagem de luz ao filme, na fotografia analógica; ou ao sensor, na fotografia digital.

Quando o botão de disparo é pressionado, o obturador abre e permite que a luz, filtrada pela objetiva, chegue ao filme ou ao sensor fotográfico.

O tempo de abertura do obturador pode ser definido pelo fotógrafo ou pela câmera (nos modos automáticos ou semi-automático). Um maior tempo de exposição permite o registro de movimento (no qual rastros são presentes na imagem). Um tempo curto permite o congelamento: os objetos aparecem nítidos e estáticos na fotografia.

A escala do diafragma é medida na escala de fração de segundos (1/x = onde 1 é igual a um segundo divido pelo valor de X) ou na escala de segundos (1″, 2″, …, 30″).

Diafragma:

Mecanismo presente na objetiva (“lente”), permite maior ou menor passagem de luz pela objetiva. Essa luz é projetada o tempo todo no obturador (ou espelho, no caso das câmeras DSLR, que fica à frente do obturador).

Ao ser pressionado o botão de disparo, o obturador abre e a luz ‘filtrada’ pelo diafragma é entregue para registro no sensor ou filme fotográfico.

A escala de abertura do diafragma é medida em F.stops (1, 1.4, 2, 2.8, 4, 5.6…64, 90), na qual quanto menor o número, maior a abertura e maior a passagem de luz , enquanto a profundidade de campo será menor (ou seja: menor área de foco a partir do ponto definido para nitidez).

ISO:

O ISO é uma referência quanto a sensibilidade do suporte fotográfico em relação à luz. O antigo padrão ASA (American Standart Association) é a referência para os valores do ISO.

A multiplicação e divisão dos valores de dois ou mais ISO’s permite entendermos a relação direta entre os valores.

Por exemplo: se a câmera estiver configurada para ISO 100 e a configuração for alterada para ISO 200,  teremos um aumento na luz registrada pela câmera. Esse aumento ocorreu na relação de 2x (200/100).

O que determina o ISO no filme fotográfico ou nas chapas fotográficas (fotografia analógica) é o tamanho do grão de prata, que é o elemento químico responsável pela fixação da imagem (luz refletida).

Na fotografia digital o ISO mantém a mesma relação de multiplicação e divisão da fotográfica analógica, porém o registro da imagem ocorre em um sensor eletrônico. O sensor capta a luz, converte para dados e entrega para o processador da câmera tratar o arquivo e armazenar na memória.

.

A relação entre as 3 variáveis:

Chamada de Fotometria (“medição da luz”), as três variáveis da fotografia permitem trabalhar a luz a partir do tempo (obturador), sensibilidade do equipamento (ISO) e abertura da objetiva (diafragma).

Desta forma, se precisarmos diminuir o tempo para registro de uma imagem, podemos reduzir o tempo de abertura do obturador. Ao reduzir o tempo, a quantidade de luz registrada será diminuída, resultado do menor tempo de abertura do obturador.

A compensação pela menor quantidade de luz poderá ser feita por um ISO mais alto ou por uma maior abertura de diafragma.

 

Sobre a seção de fotografia da TeleObjetiva:

Semanalmente iremos publicar conteúdos conceituais e práticos sobre Fotografia e Vídeo. O presente artigo é uma introdução. Ao longo das próximas semanas iremos aprofundar os conceitos de Obturador, Diafragma, ISO e Fotometria.


Ficha técnica do Vídeo:

Locução: Cássia Fang

Imagens: Wellington Dias

Fotografias no vídeo e edição: Fernando Mariano

Produzido em 2011, publicado no canal da TeleObjetiva no YouTube em 2012.