Dicas Culturais: Osvaldinho da Cuíca

A história do sambista Osvaldinho da Cuíca (Osvaldo Barro) é o tema do livro “Sampa, Samba, Sambista”, de Maria Apparecida Urbano.  Nesta edição, resgatada do acervo da Art Haus Tv (2005-2005), Paulo acompanhou a noite de autógrafos do lançamento do livro.

Dicas Culturais foi um programa produzido por Paulo Pelicano (1952-2009) que abordou alguns dos eventos culturais de São Paulo no ano de 2004.

Osvaldinho da Cuíca

Nascido no carnaval de 1940, o sambista Osvaldinho da Cuíca é compositor, cantor, ritmista e passista. Fundador da ala dos compositores da escola de samba “Vai-vai” e das escolas de samba Gaviões da Fiel e Acadêmicos do Tucuruvi. 

Na ocasião da gravação, Osvaldinho estava se recuperando de um câncer. Mesmo assim deu seu depoimento sobre o samba paulista e cantou algumas músicas no evento.

O programa

Maria Aparecida Urbano e Osvaldinho da Cuíca conversaram com Paulo Pelicano sobre o samba paulista, a importância de Osvaldinho para a cultura paulistana e a polêmica frase quanto a São Paulo ser o túmulo do samba.

Dicas Culturais - #2 - Junho ou Julho de 2004

O “Dicas Culturais” foi um programa mensal produzido por Paulo Pelicano. Em 2004 acertamos que as sextas-feiras da Art Haus TV teriam um programa diferente por semana. Paulo propôs 3 dos 4 programas mensais a serem veiculados no dia. Assim sendo, a divisão ficou definida como:

  • 1a sexta-feira do mês: Documento Art Haus (documentários)
  • 2a sexta-feira do mês: Biscoito Raro (música e entrevista)
  • 3a sexta-feira do mês: Com que roupa eu vou? (moda e entrevista)
  • 4a  sexta-feira do mês: Dicas Culturais.

Batizamos os 3 programas do Paulo com o nome “Programa Paulo Pelicano e Companhia”, sendo que a cada sexta entraria no ar uma dos quadros indicados acima.

O “Dicas Culturais” se diferenciava do “Biscoito Raro” pois enquanto o segundo tinha como pauta a música nos seus mais diversos gêneros, o primeiro abordava arte em geral. 

No mesmo ano Paulo manteve com Kleber Gutierrez o programa “Ruído Visual” (2003-2004).

Curiosidades sobre a produção.

A vinheta do programa era uma “paródia” à abertura da novela “Celebridade”, da Rede Globo”. No entanto optamos por uma montagem mais simples, devido ao pouco tempo que tivemos entre a edição do 1o episódio do programa e a data que o mesmo foi disponibilizado ao público.

Na vinheta há posters de filmes e de artistas que o Paulo curtia, além da imagem de pessoas que ele admirava (como o prof. Edvaldo Pereira Lima e o casal de fotógrafos Vinicius Sousa e Maria Eugênia Sá). 

Dicas era de fato o único programa 100% produzido pelo Paulo. No final das temporadas do “Ruído”  e do “Biscoito Raro”, Paulo se desentendeu com os demais integrantes das produções e passou a produzir os programas sozinho.

Paulo Pelicano era admirador do cinema japonês. Observa-se em seus programas planos longos, planos contemplativos e a opção do plano fechado (close) nas entrevistas. Neste último caso, sua referência era o programa “Ensaio” da TV Cultura. 

Rolar para cima